O que procuras?

terça-feira, 20 de outubro de 2009

O triunfo dos porcos

A gripe das aves não assustou... Pelo menos o suficiente para lançar o pânico geral e nos empurrar para um clima de medo profundo. Então, veio a gripe suína... A GRIPE DOS P-O-R-C-O-S!!! Mais eficaz, porque, efectivamente, o pânico está lançado e instalado.

Desta vez, até semanticamente conseguiram ser mais exactos.

A maioria das aves consegue voar. Representam, de certa forma, a liberdade. Se as compararmos com a maioria dos animais, podemos afirmar que as asas lhes dão uma maior facilidade para conseguirem escapar e fugir.

Como animal, um porco caracteriza-se por ser muito sujo e cheirar mal e, além disso, por estar sempre a comer; come tudo o que lhe põem à frente. É criado em espaços pequenos, para não se movimentar muito e não gastar muitas energias. É criado especificamente para a engorda. É, assim, mais difícil para ele conseguir fugir. Por outro lado, como adjectivo, qualquer dicionário de português refere que porco significa: sujo, imundo, indecente, obsceno.

Desta vez, a escolha semântica foi tão precisa que além das vítimas (num sentido metafórico), os próprios predadores são porcos.

Dão-nos, a nós vítimas, cada vez menos espaço para nos movimentarmos em liberdade, sem conseguirmos evitar ler ou ouvir falar sobre a gripe A. É, pelo menos, cada vez mais difícil conseguir escapar, porque nos persegue por tudo quanto é lado.

Em relação aos predadores, esses são, sem dúvida alguma, uns grandes porcos, completamente sujos, imundos, indecentes e obscenos a engordarem às custas do pânico e do medo que lançaram e conseguiram instalar.

Pelo menos, temos a certeza de uma coisa: o triunfo será dos porcos!

Aconselho, para concluir, o vídeo abaixo.



Saudações!

2 comentários:

Hugo disse...

é de facto preocupante ouvir estas coisas de uma senhora que já passou por bilderberg!
Enquanto esperamos pelo final da gripe dos porcos, podemos já começar a pensar na próxima pandemia criada pelo homem e com um dos 2 objectivos de enriquecer meia dúzia de cabrãoes, ou com o intuito de reduzir a população mundial(era bom era que se reduzisse o nº de cabrões); eu aposto que a próxima é a dos animais domésticos, ou dos peixes!

Félix disse...

"A pandemia da gripe A está a valer ao laboratório que produz o antiviral Tamiflu, a Roche, 1,3 mil milhões de euros."

Segue-se a gripe caprina que até é adequada pois parecemos todos uma cabrada de cabras cegas.

Saudações